Pois é insuficiente ter o espírito bom, o mais importante é aplicá-lo bem. As maiores almas são capazes dos maiores vícios, como também das maiores virtudes, e os que só andam muito devagar podem avançar bem mais, se continuarem sempre pelo caminho reto, do que aqueles que correm e dele se afastam. (René Descartes) 

Você não consegue manter um rei sacrificando apenas peões por muito tempo, eventualmente ele percebe seu valor e começa a derrubar peças maiores.

A honestidade de um governante mede-se pelo número de seus traidores. (Olavo de Carvalho)

Supressão do direito de propriedade, restrições no direito de ir e vir, proibições de reunião pacífica, suspensão de atividade econômica, controle estatal rigoroso sobre atividades... Tudo isso fora do estado de sítio ou sem declaração do estado de exceção, sem que ninguém se dê conta ou que nenhuma instituição de defesa do estado de direito se manifeste? Em que democracia estamos vivendo?

A epidemia do absurdo

Os governos estaduais, ao proibirem o trabalho e tornarem ilegal a abertura do comércio, romperam a barreira do insólito ao igualarem trabalhadores a criminosos, transformando absurdamente os comerciantes em verdadeiros traficantes ilegais de mercadorias lícitas.

Os políticos já foram a classe a amargar o mais alto índice de descrédito e reprovação no Brasil. Mas, é impressionante como o jornalismo ultrapassou essa posição, assumindo a liderança como a instituição atualmente mais desacreditada da nação.

A gestação do autoritarismo e do abuso em tempos de Coronavírus

Enquanto o vírus avança, as liberdades individuais recuam. O que está sendo gestado hoje é uma devastação social humanitária. Nesses tempos de restrições, imposições e autoritarismos, estamos presenciando, estarrecidos, o surgimento dos ‘democratas ditadores’. Há um enorme exagero, onde poucos avaliam, ou se recusam a admitir, as consequências de todo esse proibicionismo exagerado. Há, também,…

O congelamento da memória

Alguns partidos de esquerda já estão se assanhando e pedindo o congelamento de preços. O congelamento de preços é altamente equivocado, com viés socialista, e não passa de medida demagógica, buscando a via fácil do populismo. No Brasil, a experiência do congelamento de preços, implementado no governo Sarney, foi um grande desastre para a economia…

Todo prestígio que as polícias auferirem nesse período de crise epidêmica, será perdido quando passarem a impor, contra o povo, as ordens proibitivas e autoritárias dos governantes demagogos e populistas.

Enquanto o vírus avança, as liberdades individuais recuam. O que está sendo gestado hoje é uma devastação social humanitária.